WhatsApp Logo 1 site

central de atendimento

sala de aula site

 

cristofani aula inaugural 2016

Aula inaugural do Curso Livre de Teologia EAD da FECP da IPI.

 

 

Introdução

Quando você ouve alguém falar em Teologia o que lhe vem à mente? Um curso? Uma disciplina? Uma área de conhecimento? Você certamente, na maioria das vezes, tem ouvido falar de Teologia assim, no singular. Seja como for, é dessa sua experiência que eu quero começar.

Você já leu alguma definição de Teologia? Quase sempre alguém diz que a palavra Teologia é formada de duas outras palavras de origem grega: Theós que traduzimos por Deus e logia que significa, entre outras coisas, estudo. Dai, rapidamente, derivam uma definição de que Teologia é o estudo de Deus. Espera ai! Isso é uma definição da palavra Teologia e não de Teologia.

Definições, nós sabemos, são didáticas, pois tentam resumir os aspectos principais de uma área de estudos. Contudo, qualquer definição, por mais bem elaborada que seja, por ser uma formulação tão concisa, não faz jus à extensão da disciplina que quer definir.

Por isso, muita calma nessa hora. Teologia no singular diz respeito à ciência sobre Deus. Soa estranho dizer isso, não é mesmo?! Mas, é assim que os manuais de Teologia a definem.

Pois bem. Deixa eu fazer pequenas observações sobre isso.

Primeiro, toda ciência pressupõe um objeto de estudo. Por exemplo, a Biologia tem como objeto de pesquisa a bios, a vida biológica em todas as suas formas e manifestações. A Biologia disseca, analisa, testa e faz experimentos com o seu objeto de estudo.

Em relação à Teologia, no entanto, precisamos perguntar se podemos falar de Deus como objeto de pesquisa. Se Deus se permite ser dissecado, analisado, testado, experimentado no sentido científico como o faz a Biologia.

Acho que não. Neste caso, Deus não se submete ao crivo lógico e experimental, aos métodos das ciências, sejam elas quais forem.

Então, Reverendo, do que trata a Teologia afinal de contas? Você me pergunta.

Antes que eu responda, me permita fazer uma segunda consideração.

Dizer que Teologia é a ciência que estuda Deus tem outra implicação além do seu “objeto” (agora já podemos usar o termo entre aspas, conquanto Deus não se presta a ser objeto de nada e de ninguém). A implicação é que é necessário distinguir o termo teologia da compreensão do senso comum de que a palavra é unívoca, isto é, tem um único significado, sentido ou referencial.

Não é assim de fato. Teologia é o termo apropriado para designar, além do estudo da Teologia, uma área de conhecimento. Ela se apresenta como uma área entre outras. Hoje ela se insere, novamente, no âmbito universitário onde, no passado, reinava soberana como a rainha das ciências. Agora, aos poucos, vai ganhando espaço e dividindo sua tarefa com disciplinas como as assim chamadas “Ciências da Religião” e outras áreas de domínio conexo que têm, em certa medida, mais ou menos, perguntas e questionamentos que compartilham com a Teologia.

Também serve para se referir a uma forma específica de compreender um texto bíblico, um dogma, uma doutrina, um sacramento, uma tarefa. Vou exemplificar.

Quando estudamos uma determinada doutrina, por exemplo, a salvação em Cristo Jesus, nós nos referimos a ela como a “Teologia da Salvação”. Tome outro exemplo: o Batismo. Ao estudo aprofundado, substanciado, embasado do sacramento do Batismo podemos chamar de “Teologia do Batismo”. E assim por diante.

Você percebe como o termo teologia é bastante abrangente, mesmo antes de formularmos qualquer definição que lhe faça justiça?

Posso resumir o que entendo como Teologia no singular da seguinte forma:

  • Um: Teologia é a ciência que estuda Deus, com as ressalvas que já fiz há pouco;
  • Dois: Teologia é uma área de conhecimento entre outras;
  • Três: Teologia delimita o estudo de uma doutrina, por exemplo, Teologia da Missão.

E por que falar em Teologia no plural?

Podemos falar em Teologia com um “s” no final: Teologias. Isto porque há uma variedade nos métodos, nas perspectivas, nas abordagens e assim por diante. Teologia Sistemática: já ouviu falar? E Teologia Exegética?

Que tal Teologia Dogmática?

Pois é, você deve estar pensando… lá vamos nós…

A área de estudos teológicos fez, e continua a fazer cada vez mais, uma divisão de tarefas para cada setor ou segmento de estudo da Teologia.

Uma ilustração pode ajudar aqui.

Conta-se que numa cidadezinha da Europa, no século XVII, houve uma reunião da guilda de padeiros. Guilda era uma associação ou corporação de pessoas do mesmo ofício e abrigava mestres, oficiais e aprendizes de determinada profissão. Pois bem, o objetivo da reunião era fazer um tipo de pão que desse para alimentar toda aquela localidade. Assim, vieram todos os padeiros de muitas partes e, já que eram todos padeiros, seria fácil fazer o tal do pão para a cidade. Então, cada um deles vestiu o seu avental, colocou o seu Toque Blanc, aquele chapéu alto e branco de cozinheiro e seus utensílios sobre a bancada de trabalho. Quando os padeiros começaram a ler suas receitas uns para os outros, eles perceberam que seria impossível fazer um único tipo pão, pois ainda que todos estivessem usando os mesmos ingredientes, cada um deles tinha o seu jeito de misturar os elementos e sempre acrescentavam algo especial de sua região. Na impossibilidade de fazer um único tipo pão, dada a grande diversidade de receitas, eles decidiram que cada um faria o pão ao seu modo. Daí surgiu a diversidade de pães que conhecemos hoje.

É claro que a diversidade de teologias não surgiu em uma guilda de padeiros, nem de teólogos. Mas ao longo do tempo o pessoal que labutava com a Teologia começou a perceber que, apesar de tratarem com a mesma matéria-prima, eles poderiam produzir diversas teologias. E é o que temos hoje: Teologia Sistemática, Dogmática, Bíblica, Prática, Histórica, Moral etc.

A pluralidade de teologias e sua classificação resulta do tipo de abordagem adotada. Por exemplo: quando você lê sobre Teologia Patrística, Medieval, Moderna e Contemporânea você tem uma classificação feita com base nos períodos históricos da história da igreja ou do pensamento cristão. Quando vemos uma classificação feita com os critérios de pontos de vista distintos, então podemos ter: Teologia Paulina – que trata de encontrar uma linha de pensamento nas cartas de Paulo; Teologia Petrina – que se ocupa em traçar as características próprias nos escritos do apóstolo Pedro; Teologia Reformada – que se debruça nos documentos calvinistas, luteranos etc para encontrar pontos que distinguem essa teologia das outras, e assim por diante.

A diversidade de teologias têm a ver não apenas com o tipo de abordagem, mas com a pessoa que a produz. Desta forma, podemos falar em Teologia de Calvino, Teologia de Lutero, Teologia de Karl Barth, Teologia de Gerhard von Rad e por ai vai. Tem a ver, também, com posturas ideológicas, como por exemplo, a Teologia Evangelical, a Teologia da Libertação e assim vai. Outro fator de diversidade é a etnia, veja: Teologia Negra, Teologia Indígena, Teologia Afrodescendente, Teologia Ameríndia e muito mais. Pense nas disciplinas de um curso de Teologia e você poderá relacionar, entre outras, a Teologia da Missão, a Teologia Pastoral, a Teologia da Educação Cristã, indo dai para frente. Tenho certeza de que você é capaz de acrescentar muitas outras teologias às que mencionei.

Um apanhado para concluir.

Em um curso de Teologia a primeira coisa que precisamos aprender é colocar um “s” em muitas palavras. Esse é o caso da palavra Teologia. Teologia no singular sim, mas, de igual modo, Teologia no plural.
Aprendamos, portanto, a fazer as distinções necessárias entre as várias teologias. Contudo, não nos esqueçamos de que elas são feitas da mesma essência e com o mesmo propósito. Da mesma essência porque utilizam a mesma matéria-prima. Com o mesmo propósito porque devem, em última instância, edificar, nutrir e proporcionar aprendizado ao povo de Deus.

Ah, sim, a ilustração dos padeiros foi eu quem a criei.

Eu sou o Dr. Cristofani e esta foi a aula: Teologia: Singular e Plural.

Arrivederci!

Receba as Novidades

cristofani-caricatura-tres

Arquivo do Blog

Powered by mod LCA