WhatsApp Logo 1 site

central de atendimento

sala de aula site

 

Artigo do Dr. CristofaniSua majestade a Pedagogia

No post anterior, Você já ouviu falar em Andragogia? Falei sobre a necessidade de distinguir Andragogia e Pedagogia.

Neste segundo post, quero apresentar cinco pressupostos que sustentam a Pedagogia. É bom você ter em mente que esses cinco elementos são aqui alistados para fazer o contraste com a Andragogia.

A Pedagogia reinou soberana até as primeiras décadas do século XX, quando passou a ser questionada quanto à sua aplicabilidade na educação de adultos. Foi no estabelecimento dos pressupostos da Andragogia que a Pedagogia revelou os seus principais elementos constitutivos.

 Knowles percebeu que a Pedagogia estava centrada na figura do professor, pois dele dependia as decisões sobre o que seria ensinado às crianças. Essa não era a única decisão tomada pelo professor, pois cabia a ele definir, também, como seria ensinado os conteúdos e como os aprendizes seriam avaliados.

As causas de tamanha responsabilidade sobre os ombros do professor são, na verdade, os pressupostos da Pedagogia, que eu descrevo assim:

1. Quanto à motivação para a aprendizagem: O educando está pronto a aprender aquilo que lhe for ensinado. Sua motivação para o aprendizado é passar de ano, por isso a aprovação nas provas e exames é o objetivo a ser alcançado, caracterizando, assim, motivação externa.

2. Quanto à orientação da aprendizagem: O infante tem necessidade de conhecer apenas aquilo que o professor tem a ensinar. Não existe conexão imediata entre o aprendizado e a aplicação prática do que foi aprendido.

3. Quanto ao papel da experiência na aprendizagem: A criança não contribui com sua experiência no processo educativo. Aquilo que a criança já experimentou em seus poucos anos de vida não é levado em consideração no processo de aquisição de conhecimento. A experiência que conta é a do professor.

4. Quanto à direção da aprendizagem: O aprendiz é totalmente dependente do professor. Isso implica na construção de um autoconceito, por parte do aprendiz, de total dependência do outro. Quem orienta o aprendizado é o professor.

5. Quanto ao estilo, ritmo e tempo da aprendizagem: O aluno tem sua aprendizagem direcionada pelo conteúdo das matérias. A aquisição de conteúdos do currículo é o que conta neste caso. Disso resulta um nivelamento de estilos de aprendizagem, uma redução a um único ritmo de aprendizagem e restrito àquele tempo determinado para a aprendizagem.

Esses poucos fundamentos enumerados, que não são os únicos, sustentam a abordagem pedagógica fornecendo-lhe a estrutura geral em relação à qual a Andragogia vai se estabelecer.

Você já parou para pensar no seu próprio estilo, ritmo e tempo de aprendizagem? Em como você aprende, em que ritmo e que às vezes leva mais tempo que outras pessoas? Pare e pense nisso!

Até o próximo post.

Você já ouviu falar em Andragogia? 1/3
Andragogia: Educação de Adultos 3/3

Cartilha de Hebraico

Compre aqui

 cartilha de hebraico

Receba as Novidades

cristofani-caricatura-tres

Arquivo do Blog

Powered by mod LCA

pagseguro paypal logos site